Lista de livros sobre: Futebol Argentino.

lista de livros sobre futebol argentino

Fala, galera!

Esse é mais um, dentre vários textos, onde irei reunir os principais livros nacionais e internacionais sobre temas relacionados ao futebol! A ideia é ajudar os profissionais que já trabalham na área, os que pretendem trabalhar, os estudantes e os pesquisadores.

Conheço bem as dificuldades de encontrar os livros sobre o esporte bretão no nosso país e, espero poder contribuir para melhorar esse cenário!

A relação entre Brasil e Argentina no futebol é bem antiga! A primeira partida oficial entre os dois países foi disputada em 1914, e desde então a rivalidade só aumentou! Nos últimos anos, o jogo amistoso entre dois países voltou a ser disputado em formato mais competitivo, valendo taça, através do Super Clássico das Américas, que reviveu a antiga Copa Roca.

Bi campeã mundial e olímpica, a seleção Albiceleste sempre revelou grandes jogadores, dentre eles: Di Stéfano, Ayala, Kempes, Mascherano, Simeone, Redondo, Verón, Riquelme, Aguero, Passarella, Zanetti, Goycochea, Di Maria e Batistuta, além, é claro, de Lionel Messi e Don Diego Maradona.

Além dos livros impressos, no Brasil e no exterior, sobre o tema, já foram produzidos muitos artigos, monografias, dissertações, teses, entrevistas, notícias, matérias, reportagens, e-books, vídeos, DVDs e VHSs, por excelentes profissionais, que poderão auxiliar, e muito, o seu aprofundamento sobre o tema!

Finalizo, então, fazendo um pedido: escrevam sobre o futebol argentino! Temos muito a aprender com os Hermanos! Vamos unir forças e ajudar a alavancar o futebol brasileiro!

Enfim é chegada a grande hora! Os principais livros impressos sobre o tema, em português e por ordem do ano de lançamento, são:

– Argentina Insuperável: O Campeonato Sul-americano em 1946 e 1947 em 43 microcontos de futebol.
capa do livro argentina insuperavel o campeonato sul americano em 1946 e 1947 em 43 microcontos de futebol
Ano: 2019.
Autor: Rafael Duarte Oliveira Venâncio.
Editora: Edição do autor.
ISBN: 9781092533164.
Páginas: 190.
Sinopse: “A ficção de futebol é um exercício difícil, especialmente porque a realidade do esporte parece mais interessante do que qualquer história inventada. Um baú gigantesco de histórias fantásticas de futebol pode ser encontrado pelos séculos. Ainda mais em uma competição centenária tal como a Copa América, iniciada enquanto Campeonato Sul-Americano em 1916.As histórias aqui, então, são estórias das edições dos Campeonatos Sul-Americanos de 1946 e 1947.Para fins formais, os microcontos possuem exatas 100 palavras. Esse gênero textual, em língua inglesa, é conhecido como drabble. Isso reforça o exercício criativo posto para (re)contar 43 estórias do mundo da bola que, neste livro, são diálogos.Este é o sexto de trinta planejados na série sobre o Campeonato Sul-Americano e a Copa América de futebol, todos seguindo o mesmo preceito. Seja dentro deste volume, seja no contexto completo das obras, há de se ter um caleidoscópio daquilo que o futebol tem de melhor: suas pequenas histórias.”.

– Argentina/78: Uma Copa do Mundo política, popular e polêmica.
capa do livro argentina 78 uma copa do mundo politica popular e polemica
Ano: 2018.
Autor: Alvaro Vicente G. Truppel P. do Cabo.
Editora: Appris.
ISBN: 9788547316495.
Páginas: 277.
Sinopse: “Pedi para entrevistar o ministro de esportes argentino. Não tinha a menor intenção em ouvi-lo. É preciso agora confessar que não passava de um vergonhoso golpe. O que eu precisava era entrar no prédio da Secretaría de Deporte, Educación Física y Recreación, o equivalente à pasta de esportes daqui. Chegar até a Avenida Miguel B. Sánchez 1050, enganar com algumas perguntas e botar em prática a última parte do plano: dar uma desculpa e conseguir autorização para ir ao teto do prédio. O prédio fica exatamente no meio do caminho entre o Monumental de Nuñez e a Esma (Escuela Superior de Mecánica de la Armada), o maior campo de concentração e genocídio das ditaduras do continente. Quatro décadas depois, tentar mostrar em imagem a aberração que foi tudo aquilo: enquanto se jogava uma final de Copa do Mundo, gente era torturada. Entre um e outro, 700 metros de distância. Impossível não perder a respiração ali quando se consegue estabelecer no raio do seu olhar a dimensão do absurdo. Pois ler este “Argentina 78: uma Copa do Mundo política, popular e polêmica” é um pouco como estar de novo no teto daquele prédio entre a Esma e o campo do River. Ler a obra de Alvaro do Cabo é, palavra por palavra, ter no olhar a dimensão do absurdo do que foi aquilo tudo. O rigor acadêmico de Alvaro aliado à narrativa digna de uma grande reportagem. Memória fundamental de um tempo para que “nunca más”. Os pecados de sempre da imprensa, salvo as exceções de sempre, estão no que já é um dos livros mais relevantes sobre esse período. Expõe as exacerbadas “defesas da nação” presentes nas crônicas tanto aqui como lá. Que nos dão boas pistas para entendermos como chegamos até aqui: outros tempos, outros temas e a mesma imprensa cúmplice que outrora “não viu” os horrores das ditaduras e anos depois “não viu” o mar de lama que inundava a Fifa. Ler Alvaro do Cabo é mais do que nunca a expressão da velha definição do que é História: “conhecer o passado para entender o presente”. Lúcio de Castro Historiador e Jornalista.”.

– Grito na Argentina: A Copa de 1978 em 38 microcontos de futebol.
capa do livro grito na argentina a copa de 1978 em 38 microcontos de futebol
Ano: 2018.
Autor: Rafael Duarte Oliveira Venâncio.
Editora: Edição do autor.
ISBN: 9781980923923.
Páginas: 134.
Sinopse: “A ficção de futebol é um exercício difícil, especialmente porque a realidade do esporte parece mais interessante do que qualquer história inventada. Um baú gigantesco de histórias fantásticas de futebol pode ser encontrado nas Copas do Mundo, competição máxima do esporte. O futebol menottista. A tragédia de Luque. O bigode raspado de Kempes. Brasil sendo campeão moral. O milagre austríaco de Córdoba. O 6 a 0 dos alemães em cima do México. Os surpreendentes tunisianos. Os misteriosos peruanos. A Holanda reinventada. Essas histórias se transformam em estórias narradas em 38 microcontos em Grito na Argentina. Esses microcontos são um misto de conto e crônica assim, as fronteiras entre fato e ficção não são postos por uma condição de Realismo Fantástico, mas sim por uma escolha de que “quem conta um conto, aumenta um ponto”. As histórias aqui, então, são também estórias sobre a Copa do Mundo de Futebol de 1978, realizada entre 1º e 25 de junho daquele ano em cinco cidades argentinas. São elas: Buenos Aires, Mar del Plata, Córdoba, Rosario e Mendoza. Para fins formais, os microcontos possuem exatas 100 palavras. Esse gênero textual, em língua inglesa, é conhecido como drabble. Isso reforça o exercício criativo posto para (re)contar os 38 jogos que formaram a competição que tornou a Argentina campeã mundial pela primeira vez, demarcando uma hegemonia sul-americana em Copas do Mundo. Este é o décimo-primeiro livro de vinte planejados, todos seguindo o mesmo preceito. Seja dentro deste volume, seja no contexto completo das obras, há de se ter um caleidoscópio daquilo que o futebol tem de melhor: suas pequenas histórias.”.

– Herói no México: A Copa de 1986 em 52 microcontos de futebol.
capa do livro heroi no mexico a copa de 1986 em 52 microcontos de futebol
Ano: 2018.
Autor: Rafael Duarte Oliveira Venâncio.
Editora: Edição do autor.
ISBN: 9781981049059.
Páginas: 202.
Sinopse: “A ficção de futebol é um exercício difícil, especialmente porque a realidade do esporte parece mais interessante do que qualquer história inventada. Um baú gigantesco de histórias fantásticas de futebol pode ser encontrado nas Copas do Mundo, competição máxima do esporte. A mão de Deus de Maradona. A vitória de Bilardo contra o legado de Menotti. Os gols de Lineker. O incrível Marrocos. Os erros do juiz contra o Iraque. Os pênaltis perdidos pelo Brasil. O Quadrado Mágico do time da França. A Alemanha treinada por Beckenbauer. A Dinamáquina e a surpreendente Bélgica. Essas histórias se transformam em estórias narradas em 52 microcontos em Herói no México. Esses microcontos são um misto de conto e crônica Assim, as fronteiras entre fato e ficção não são postos por uma condição de Realismo Fantástico, mas sim por uma escolha de que “quem conta um conto, aumenta um ponto”. As histórias aqui, então, são também estórias sobre a Copa do Mundo de Futebol de 1986, realizada entre 31 de maio e 29 de junho daquele ano em nove cidades mexicanas. São elas: Cidade do México, Guadalajara, Puebla, San Nicolás de los Garza, Queretaro, Monterrey, León, Nezahualcoyotl, Irapuato, Zapopan e Toluca. Para fins formais, os microcontos possuem exatas 100 palavras. Esse gênero textual, em língua inglesa, é conhecido como drabble. Isso reforça o exercício criativo posto para (re)contar os 52 jogos que formaram a competição que tornou a Argentina bicampeã mundial e Diego Maradona uma lenda. Este é o décimo-terceiro livro de vinte planejados, todos seguindo o mesmo preceito. Seja dentro deste volume, seja no contexto completo das obras, há de se ter um caleidoscópio daquilo que o futebol tem de melhor: suas pequenas histórias.”.

– Copa Loca: As inacreditáveis histórias da Argentina nos mundiais.
capa do livro copa loca as inacreditaveis historias da argentina nos mundiais
Ano: 2018.
Autores: Campos, Lepiani e Torraga.
Editora: Garoa.
ISBN: 9788566683035.
Páginas: 216.
Sinopse: “Todos somos loucos por futebol, mas os argentinos, intensos e viscerais, levaram a devoção a um patamar único – especialmente quando se trata de sua selección. E não há, claro, momento mais propício para demonstrar essa indomável paixão do que a Copa do Mundo. Este livro detalha todas as participações (e ausências) da Argentina nos Mundiais. No entanto, aqui não há dados estatísticos ou fichas de jogos; o foco está nos personagens e nas histórias, algumas tão incríveis que parecem até ficção. Señoras y señores, bienvenidos a la Copa Loca.”.

– O Papa que ama o futebol: A inspiradora história do menino que se tornou o Papa Francisco.
capa do livro o papa que ama o futebol a inspiradora historia do menino que se tornou o papa francisco
Ano: 2014.
Autor: Michael Part.
Editora: Valentina.
ISBN: 9788565859400.
Páginas: 116.
Sinopse: “Esta é a comovente história de um rapaz apaixonado por ópera e pelo mais popular esporte do mundo. Os valores do jovem Jorge foram forjados no campinho da praça do bairro de Flores, onde jogava futebol com os amigos, e por sua família, que o amava e inspirava. Jorge foi um menino cujo carinho e imensa compaixão pelo ser humano o levaram das ruas de Buenos Aires até o Vaticano, onde se tornou não somente o Papa Francisco, o líder da Igreja Católica, mas um homem admirado mundialmente por sua simplicidade, humildade e dedicação aos pobres. Um jesuíta, discípulo de São Francisco de Assis, fiel ao próprio coração. Um homem que acredita que a verdade é sempre o melhor caminho. Esta também é uma história de 1946, ano de um campeonato fantástico para o seu amado time, o San Lorenzo. Foi uma temporada em que a equipe não sofreu uma única derrota e em que aconteceu a extraordinária partida de que o Papa Francisco jamais se esquecerá. Lembranças divinas e histórias maravilhosas da infância, dos valiosos ensinamentos que recebeu da família, dos amigos e do futebol, claro. Compartilhe momentos inesquecíveis da vida do Papa Francisco, o sacerdote que abraçou a humildade e o amor ao próximo para renovar a esperança e a fé dos homens.”.

– Os Hermanos e nós.
capa do livro os hermanos e nós
Ano: 2014.
Autores: Ariel Palácios e Guga Chacra.
Editora: Contexto.
ISBN: 9788572448499.
Páginas: 256.
Sinopse: “Além da paixão pelo futebol, brasileiros e argentinos têm em comum a admiração que suas seleções despertam ao redor do planeta. Quando elas entram em campo, param o mundo. Pergunte a um palestino e a um israelense, a um grego e a um turco para qual time torcem na Copa do Mundo, quando o deles não está na disputa. Se não for o Brasil, será a Argentina. Neste livro, os jornalistas brasileiros Ariel Palacios que vive em Buenos Aires e Guga Chacra que já morou lá contam de forma deliciosa o que é o futebol argentino desde sua história até seu estilo de jogo. Como se manifesta o fanatismo das torcidas argentinas, aquelas que cantam sem parar, esteja o time ganhando ou perdendo? Quais seriam os equivalentes brasileiros de clubes argentinos como o River Plate, o Racing ou o Boca Juniors? E, afinal, é verdade que o maior rival da Argentina é o Brasil? (Já desvendamos o segredo: não é.) Nós amamos odiá-los, eles odeiam nos amar, mas ambos somos os maiores praticantes do futebol-arte.”.

– Messi: O garoto que virou lenda.
capa do livro messi o garoto que virou lenda
Ano: 2014.
Autor: Luca Caioli.
Editora: L&PM.
ISBN: 9788525430670.
Páginas: 312.
Sinopse: “A história do menino tímido, frágil e com problemas de crescimento que deixa o interior da Argentina para se tornar um ídolo na Europa poderia ser apenas um roteiro de cinema, mas ganha vida quando Lionel Andrés Messi e a bola de futebol se encontram para nunca mais se separarem. Em ‘Messi – O garoto que virou lenda’, o jornalista italiano Luca Caioli refaz os passos do jogador do Barcelona e da seleção argentina desde a infância em Rosário até a inédita conquista de quatro Bolas de Ouro consecutivas como o melhor jogador de futebol do ano. Uma trajetória excepcional, escrita nos campos e agora exposta em seus bastidores.”.

– Com a taça nas mãos: Sociedade, Copa do Mundo e ditadura no Brasil e na Argentina.
capa do livro com a taca nas maos sociedade copa do mundo e ditadura no brasil e na argentina
Ano: 2014.
Autora: Lívia Gonçalves Magalhães.
Editora: Lamparina.
ISBN: 9788583160144.
Páginas: 176.
Sinopse: “No ano da realização da Copa do Mundo no Brasil e do aniversário de 50 anos do golpe civil-militar brasileiro, as discussões em torno das históricas relações entre futebol e política parecem ter ganhado maior retumbância. Foi assim também nas Copas de 1970, no México, vencida pela seleção brasileira, e de 1978, na Argentina, conquistada pela seleção da casa, quando os governos dos países das duas equipes campeãs foram acusados de usarem os Mundiais para fins políticos, em vista dos regimes civil-militares pelos quais passavam à época. Afinal, em meio às euforias dos campeonatos, partidas e conquistas dentro de campo, havia uma série de repressões, denúncias e torturas acontecendo no Brasil e na Argentina. Mas, ao mesmo tempo, as Copas do Mundo foram também um espaço de distintas manifestações sociais, que vão além da dicotomia apoio × resistência. Seria certo, então, afirmar que as Copas foram “ferramentas” utilizadas pelos governos das ditaduras brasileira e argentina? A historiadora Lívia Gonçalves Magalhães faz uma ampla pesquisa e analisa as relações que podem ser apontadas entre os Mundiais de 1970 e de 1978 e as ditaduras no Brasil e na Argentina, assim como o papel da sociedade nesses processos. A autora tenta driblar os anacronismos, na difícil tarefa de captar os processos históricos tais como aconteceram, traçando comparações, semelhanças e diferenças, e buscando explicações e interpretações. A proposta do livro é fazer uma cuidadosa investigação sobre o assunto, tentando desmitificá-lo e fugir de conclusões simplistas.”.

– Messi Neymar Ronaldo: Face a face com os maiores do mundo.
capa do livro messi neymar ronaldo face a face com os maiores do mundo
Ano: 2014.
Autor: Luca Caioli.
Editora: Quality Mark.
ISBN: 9788541401616.
Páginas: 128.
Sinopse: “A Qualitymark Editora publica a obra Ronaldo: A Obsessão Pela Perfeição, uma biografia sobre o jogador de futebol português Cristiano Ronaldo. Cristiano ganhou o prêmio bola de ouro 2013, após superar nomes como Messi e Ribéry. Mais do que trazer dados sobre suas habilidades técnicas em campo, o objetivo da obra é mostrar o que existe por trás do mito. Quem é, realmente, Cristiano Ronaldo? O que motiva, afinal, sua obsessão pela perfeição? Para isso, Luca Caioli narra os principais momentos da vida do jogador, desde o seu nascimento. O livro também traz uma ficha técnica com o resumo dos principais prêmios que Cristiano Ronaldo ganhou até 2013, tanto por Clubes quanto individuais, assim como um cronograma dos times em que atuou e a quantidade de gols marcados em cada um.”.

–  La Doce: A explosiva história da torcida organizada mais temida do mundo.
capa do livro la doce a explosiva historia da torcida organizada mais temida do mundo
Ano: 2012.
Autor: Gustavo Grabia.
Editora: Panda Books.
ISBN: 9788578882044.
Páginas: 208.
Sinopse: “O jornalista Gustavo Grabia pesquisou a fundo a história da torcida que criou laços políticos dentro da Argentina, extorque homens públicos, empresários e jogadores e criou uma organização idêntica a de máfia. Brigas com torcedores rivais parece ser apenas a parte mínima de seu currículo. O resultado desse brilhante trabalho ganhou o mesmo nome da barra brava, “La Doce”. Conheça a origem, o crescimento, os comandantes e como atua hoje a organizada mais temida do mundo.”.

– A biografia de Lionel Messi.
capa do livro a biografia de lionel messi
Ano: 2012.
Autor: Leonardo Faccio.
Editora: Generale.
ISBN: 9788563993465.
Páginas: 160.
Sinopse: “Para os apaixonados por futebol e fãs de esportes em geral, um olhar em profundidade sobre a vida de um dos maiores astros de todos os tempos. Futebol é o esporte mais popular do mundo, e o jogador argentino Lionel Messi se destaca como um dos melhores de sua categoria. Admirado ao redor do planeta por sua capacidade atlética, habilidade e competitividade acirrada, Messi, aos 24 anos, já havia quebrado todos recordes em um dos clubes mais tradicionais do mundo, o FC Barcelona. De pequena estatura, mas possuindo dons naturais extraordinários, Messi se transformou em uma estrela em La Masia, a famosa escola de Barcelona. Neste livro, o autor não apenas registra a biografia de uma celebridade enigmática, mas faz também uma reflexão sobre um gênio atlético, com base em entrevistas com o jogador, com membros de sua família e com pessoas próximas, incluindo colegas, amigos de infância e até mesmo seu açougueiro favorito. Agora os fãs de futebol que gostam de assistir Messi ganhar vida no campo, vão se surpreender ao vê-lo ganhar vida nestas páginas.”.

– Violência no futebol: Mortes de torcedores na Argentina e no Brasil.
capa do livro violencia no futebol mortes de torcedores na argentina e no brasil
Ano: 2012.
Autor: André Luis Nery.
Editora: Multifoco.
ISBN: 9788579618383.
Páginas: 224.
Sinopse: “O livro tem como foco a violência entre torcedores no futebol argentino e brasileiro. Ele apresenta os casos de mortes que são relacionados a enfrentamentos entre torcidas e também os incidentes ocorridos em estádios dos dois países que terminaram com vítimas. Além disso, foi traçada uma comparação com o que o ocorre na Inglaterra, Espanha e Itália, países em que o futebol tem grande apelo social e também apresentam um grau elevado de violência entre seus torcedores. Outros tipos de agressões, como o racismo e a xenofobia, também foram analisados no livro, uma vez que esse tipo de manifestação tem se ampliado no futebol nos últimos anos. Como a violência é frequentemente relacionada às torcidas organizadas no Brasil e às “barras bravas” na Argentina, a formação desses grupos e sua atuação ganharam um capítulo à parte. O trabalho mostra ainda como Brasil e Argentina tratam a questão da violência no esporte a partir de suas respectivas legislações. Outros temas secundários, como a globalização e seus efeitos no futebol argentino e brasileiro e as mortes de jogadores profissionais registradas em campo e treinamentos, foram abordados com o objetivo de mostrar que a violência no futebol se configura de variadas formas.”.

– Entre “Rivais”: Futebol, racismo e modernidade no Rio de Janeiro e em Buenos Aires (1897 – 1924).
capa do livro entre rivais futebol racismo e modernidade no rio de janeiro e em buenos aires 1897 1924
Ano: 2012.
Autor: Ricardo Pinto dos Santos.
Editora: Maud X.
ISBN: 9788574784229.
Páginas: 128.
Sinopse: “Mesmo sendo a História do Esporte um campo de investigação relativamente recente na academia brasileira, já é possível vislumbrar, nos estudos realizados, algumas iniciativas de inovação e de busca de maior profundidade teórica. Ao comparar os casos do Brasil e da Argentina no que se refere às relações entre futebol e racismo, o autor contribui para colocar o assunto em outro patamar de discussão, inclusive por “desprovincializar” a abordagem do tema, demonstrando o quanto cidades próximas compartilham (ou não) muitos sentidos e significados na mobilização do esporte em seus projetos de construção de um ideário e imaginário modernos. Trata-se de leitura fundamental para os que se aventuram pelas searas do velho esporte bretão em terras latino-americanas. (trecho da orelha de Victor Andrade de Melo – Professor do Programa de Pós-graduação em História Comparada – UFRJ).”.

– Brasil x Argentina: Histórias do Maior Clássico do Futebol Mundial (1908 – 2008).
capa do livro brasil x argentina historias do maior classico do futebol mundial 1908 2008
Ano: 2009.
Autor: Newton César de Oliveira Santos.
Editora: Scortecci.
ISBN: 9788536614922.
Páginas: 616.
Sinopse: “Quando disputam uma partida de futebol, Brasil e Argentina levam a campo uma rivalidade iniciada há mais de um século. Dois países tão próximos, e ao mesmo tempo tão diferentes, compartilham uma paixão obstinada pelo esporte que leva seus habitantes a extremos de alegria, tristeza e angústia. Com o passar dos anos, as duas maneiras distintas de se jogar futebol passaram a caracterizar cada país em seus aspectos social, político e cultural. Assim, as similaridades e diferenças entre brasileiros e argentinos ganharam vulto e importância nos gramados quando os dois selecionados se enfrentavam, e fizeram desse encontro o maior clássico do futebol mundial. Esse livro mergulha na história dos jogos entre as seleções de Brasil e Argentina e mostra como um relacionamento esportivo inicialmente marcado pela cordialidade foi se transformando em uma rivalidade sem igual no mundo do futebol. A intenção foi realçar as maiores conquistas e destacar os grandes jogadores de ambos os lados; descrever as principais brigas em campo; contextualizar cada partida em relação ao momento vivido em cada nação; reunir, enfim, as melhores histórias que se sucederam ao longo de um século de encontros em campo. Brasil e Argentina são duas potências do futebol, reconhecidas mundialmente. A rivalidade que transparece e que caracteriza o confronto esconde o muito que existe de respeito, admiração e inveja entre os torcedores e jogadores dos dois países. Afinal de contas, a grandeza de um ganha muito em realce e nitidez diante da estatura da outra.”.

P.S.: Caso você tenha interesse em comprar alguma das obras aqui citadas, tenha alguma sugestão, reclamação, indicação ou interesse em mais informações, favor enviar um e-mail para:

literaturaefutebol@outlook.com.br

ou uma mensagem no WhatsApp para:

(71) 9 8760-5501 – Leo Lyra.

P.P.S.: Aproveito para ratificar que as sinopses foram escritas pelas editoras e/ou autores dos livros, não expressando necessariamente a minha opinião pessoal sobre a obra.

Um comentário em “Lista de livros sobre: Futebol Argentino.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close